Formulário de Busca

Confusão na Câmara de São João da Ponte foi gravada por equipe do programa CQC

Segundo o advogado e jornalista Fábio Oliva, os últimos dias foram marcados por intenso assédio dos advogados do prefeito sobre os oito vereadores que integram a bancada governista.

Publicado em 27 de março de 2014 - 20:58

Por:Luis Claudio Guedes

O advogado Fábio Oliva, que convidou o CQC, é entrevistado pelo humorista Oscar Filho, que acompanhou ainda a tumultuada sessão em que Gorutuba não conseguiu barrar investigação

O advogado Fábio Oliva, que convidou o CQC, é entrevistado pelo humorista Oscar Filho, que acompanhou ainda a tumultuada sessão em que Gorutuba não conseguiu barrar investigação

A bancada de vereadores aliada ao prefeito Sidiney Pereira da Silva, o Sidiney Gorutuba (PSD), na Câmara Municipal de São João da Ponte, no Norte de Minas, bem que tentou, mas não conseguiu evitar a investigação de denúncias por improbidade administrativa que tramita na Casa. O clima na cidade ficou tenso durante reunião extraordinária da Câmara realizada na tarde da quarta-feira (26), quando foi apreciado o parecer favorável ao arquivamento do processo de investigação. Centenas de moradores lotaram a rua e o plenário e a sessão acabou em tumulto e troca de socos. O motorista do prefeito agrediu um manifestante e foi preso, além disso um manifestante tentou agredir um dos vereadores e também foi levado para a delegacia de polícia local.

O potencial da confusão subiu alguns decibéis porque a reunião da Câmara teve cobertura da equipe do programa CQC – Custe o Que Custar -, da Rede Bandeirantes de Televisão – uma mistureba de humor e crítica política, que já teve alguns momentos de fama, mas anda com audiência em baixa nos últimos tempos. Liderada pelo humorista e jornalista Oscar Filho, a equipe da Band produz matéria para o quadro “Proteste Já!” que deve ir ao ar na segunda-feira (31) e que vai abordar a interminável crise política do município de São da Ponte. Toda a movimentação foi gravada e alguns vereadores foram entrevistados com o habitual tom de chacota que caracteriza o programa.

Sidiney Gorutuba, um ex-vereador alçado à condição de prefeito por artimanhas do destino: ele era vice do prefeito eleito Geraldo Paula da Costa, o Gê Paula, que tomou posse no leito de um hospital e morreu pouco depois, em janeiro do ano passado. Gorutuba contava com oito dos onze vereadores, ou dois terços dos votos disponíveis, para aprovar o arquivamento da denúncia contra seu governo.

Segundo o advogado e jornalista Fábio Oliva, os últimos dias foram marcados por intenso assédio dos advogados do prefeito sobre os oito vereadores que integram a bancada governista. Na última hora, contudo, o vereador Lucílio Weliks de Souza (PMDB), aliado de Gorutuba, teve problemas de saúde e precisou ser internado em Montes Claros, faltando à reunião. O placar final ficou sete votos a favor do arquivamento e três votos a favor do prosseguimento das investigações.

Dos sete vereadores que votaram para que não haja investigação, quatro são investigados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público de Minas Gerais, por suspeita de terem recebido R$ 50 mil cada para evitar a cassação do ex-prefeito Fábio Luiz Fernandes Cordeiro (PTB), o Fábio Madeiras, em 2011 (aqui): Abelar Pinto (PSB), Juscilene Fagundes Borges (PTB), presidente da atual Comissão Processante, Geraldo Filogônio Ferreira, o Geraldo da Boa Vista (PTC), José Geraldo Lisboa, o Zé do Jambra (PTB).

Edição:

Comentar

CIDADE FM AO VIVO
INFOTEC Informática

Eventos

Cartaz

Vem ai dia 24 de dezembro, terceiro Julião Fest

Vem ai dia 24 de dezembro, terceiro Julião Fest.

Enquete

Qual equipe vai ser campeã brasileira esse ano?









Resultado parcial

CBV
© 2010-2013 Folha do Vale - Todos os direitos reservados
visitas